CNCC ENCAMINHA REIVINDICAÇÕES À ANS.

0
10
 A Comissão Nacional de Convênios e Credenciamentos – CNCC, constituida por representação de entidades maiores da odontologia: Associação Brasileira de Cirurgião Dentistas-ABCD, Associação Brasileira de Odontologia – ABO, Conselho Federal de Odontologia – CFO, Federação Interestadual dos Odontologistas – FIO e Federação Nacional dos Odontologistas – FNO, reunida no dia 31/08/2018 em Brasília – DF, aprovou o envio à Agência Nacional de Saúde Suplementar, de ofício, contendo várias reivindicações da categoria, cujo inteiro teor segue:
CNCC 012/2018

                                                                                  Brasília, 31 de agosto de 2018.

 

Prezado Senhor Diretor Presidente da Agência Nacional de Saúde Suplementar

 

A Comissão Nacional de Convênios e Credenciamentos representada pelas seguintes entidades nacionais da Odontologia Brasileira em ordem alfabética: Associação Brasileira de Cirurgiões Dentistas (ABCD), Associação Brasileira de Odontologia (ABO Nacional), Conselho Federal de Odontologia (CFO), Federação Interestadual dos Odontologistas (FIO) e Federação Nacional dos Odontologistas (FNO), vem pelo presente ofício, apresentar a essa conceituada Agência, as seguintes reivindicações atuais da nossa categoria, relacionadas abaixo:

  1. Regulamentação pela ANS, para que no contrato da operadora com o prestador, conste o número de registro da operadora no CRO da unidade da Federação do prestador, ou seja, onde será realizado a prestação do serviço odontológico, seja na sua rede referenciada, credenciada ou rede própria. Que a ANS também cobre das operadoras o registro do Responsável Técnico (RT) da operadora na unidade da Federação onde o serviço odontológico será prestado em cumprimento de toda a legislação em vigor, inclusive confirmado através do Acórdão RECURSO ESPECIAL Nº 1.183.537 – RJ (2010/0040943-3), cuja relatora foi a Ministra Eliana Calmon;
  2. Maior fiscalização da ANS, no cumprimento da legislação em vigor (Lei 13.003) e suas regulamentação (RN 364/2014), com relação ao índice de reajuste anual, em caso de não negociação, como 100% do IPCA e não percentual do IPCA;
  3. A regulamentação    da    glosa     técnica,     que     deve     integralmente     conter,     a identificação     do     auditor     e/ou     perito     responsável      pela      avaliação,      através      do seu   nome   e   número   de   registro   no   CRO   da   unidade   da   Federação    onde    foi    realizado    o    procedimento,    como    já    prevê    a    Resolução     Normativa     nº     20     do  CFO de 16 de agosto de 2001, bem como o cumprimento na íntegra do que prevê inclusive o artigo 5º da RN 363/2014 da ANS;
  4. Regulamentação da proibição expressa em clausula contratual, da utilização de termos ou regras, em desacordo com a constituição e legislação em vigor, como por exemplo: “glosa irrecursável”, bem como o cumprimento na íntegra do que prevê inclusive o artigo 5º da RN 363/2014 da ANS;
  1. Regulamentação dos atrasos de pagamentos dos honorários dos procedimentos autorizados e realizados de responsabilidade da operadora, onde ficará obrigatório em contrato, cláusula de aplicação de multa e correção monetária, observados os critérios definidos pela ANS ou pela autoridade monetária competente;
  1. Regulamentação do descredenciamento dos profissionais prestadores, onde deve- lhe ser garantido o amplo direito de defesa e do contraditório, conforme o inciso LV do artigo 5º da Constituição Federal: “aos litigantes, em processo judicial ou administrativo, e aos acusados em geral são assegurados o contraditório e ampla defesa, com os meios e recursos a ela inerentes”, bem como o prazo mínimo de comunicação ao prestador (60 dias), informado ao CRO da unidade da Federação, onde atua o prestador e a ANS, sobre as razões que motivaram o desligamento, em cumprimento da RN 19/2001 do CFO de 21 de junho de 2001, a RN 365/2014 da ANS e a IN 56/2014 também da ANS;
  2. Criação de uma campanha permanente de conscientização dos usuários e prestadores, sobre os canais de comunicação disponíveis com a ANS, que terá o apoio das entidades da odontologia brasileira (em anexo um banner sugestivo que esteja exposto nas salas de espera de todos os operadores, em local visível ao usuário);
  3. Que seja criada uma Câmara Técnica para discussão da hierarquização dos procedimentos odontológicos, visando padronizar a utilização da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Odontológicos (CBHPO) por todas as operadoras, não somente no que tange a nomenclatura e códigos, mas também quanto à hierarquização, por se tratar de um estudo técnico e econométrico, realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas do Departamento de Economia da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FIPE);
  4. Que sejam criados mecanismos de proteção à identidade dos dentistas prestadores, quando das denúncias sobre abusos e ilegalidades cometidas pelas operadoras, de forma que a Agência possa ter uma informação real e atual sobre a realidade da relação prestador/operadora, evitando que o medo e/ou receio do prestador de ser descredenciado pela operadora, como punição e/ou retaliação, de forma a interferir no volume e razões das denúncias;
  5. Apoio da ANS junto ao Governo Federal, para a ampliação da participação da Odontologia na Câmara de Saúde Suplementar, de 1(uma) cadeira que hoje é somente do Conselho Federal de Odontologia (CFO), para mais 2(duas) cadeiras, sendo uma das Associações e outra das Federações de Sindicatos de Odontologia, que revezariam a participação, conforme já acontece com a Medicina;

11. Criação de Nota Técnica Atuarial, inicialmente para os produtos do atual rol básico de procedimentos;

Na oportunidade, gostaríamos de também solicitar uma Reunião de Trabalho entre a Diretoria da ANS e a CNCC, de forma a podermos debater as pautas acima, de forma a construirmos juntos, caminhos que possam garantir a qualidade da prestação de serviços odontológicos a sociedade brasileira na área da saúde suplementar. Desde já agradecemos a atenção sempre dispensada a Odontologia e suas entidades por essa importante Agência Reguladora,

Atenciosamente

 

Dr. Eduardo Carlos Gomide – Cirurgião Dentista

Coordenador da Comissão Nacional de Convênios e Credenciamentos da Odontologia

  • Associação Brasileira de Cirurgiões-Dentistas – ABCD
  • Associação Brasileira de Odontologia – ABO – Nacional
  • Conselho Federal de Odontologia – CFO
  • Federação Interestadual dos Odontologistas – FIO
  • Federação Nacional dos Odontologistas – FNO

 

Ao

Diretor Presidente da Agência Nacional de Saúde Suplementar Leandro Fonseca da Silva

COMPARTILHAR
Artigo anteriorCoesão Profissional

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA